quarta-feira, junho 07, 2017

Antes do New Metal: artistas de Rock / Metal que gravaram Rap.

Foi em 11 agosto de 1973 que Kool Herc, um DJ jamaicano radicado em Nova York, introduziu o RAP nos Estados Unidos da América; posteriormente o divulgando para o mundo. Palavra que é uma gíria inglesa para "conversar" o RAP é definido por um dialogo, um discurso, que o MC (mestre de cerimônias) faz sobre uma batida de bateria com baixo. Originalmente das festas jamaicanas dos anos sessenta, o RAP surge com críticas políticas de esquerda contando da vida das pessoas da periferia. Ganhando cada vez mais espaço na mídia, o RAP foi aumentando de popularidade, e seu estilo "fácil de copiar" começou a ser assimilado pelo Rock ainda na primeira metade dos anos 1980.




À principio, o RAP chega no Rock já sem as críticas sociais ou apresentando as condições de vida das pessoas na periferia, totalmente fora da cultura Hip Hop. Ele aparece "em sua forma pura, leve, inofensiva" só como um discurso rimado sobre uma base musical; que aqui, além do baixo e da bateria, inclui a guitarra. O ANTHRAX foi o pioneiro a incluir um DJ fazendo os sons de um disco indo e voltando, com um cover do PUBLIC ENEMY em 1991. Esse foi um estopim para que em 1992 o KORN apresentasse o Nu Metal, que junta todas as características anteriores com afinação mais baixa dos instrumento de corda, inexistência ou poucos solos de guitarra e ritmos quebrados baseados no Groove Metal do PANTERA / SEPULTURA. Nesse mesmo ano o BODY COUNT lança seu primeiro álbum, e até onde entendemos, o primeiro disco de Thrash Metal com Rap em todas as faixas. Começa o festival OzzFest e a mídia, a MTV e as grandes gravadoras, à partir de 1998, já trocam o Grunge por bandas como SYSTEM OF A DOWN ,GODSMACK, LIMP BIZKIT etc.



Quando os tubarões das grandes corporações abocanham esse filão musical e começam a impor que a essa é a "nova ordem" a originalidade e a qualidade caem por terra. Nesse contexto surge também o RAGE AGANIST THE MACHINE, usando muito elementos do RAP e mantendo as críticas sociais de esquerda, mas sem ser exatamente New Metal; mas já muito diferente do Heavy Hard para entrar na nossa listagem. Vamos recordar então como começou a inserção do RAP ao Hard Rock e ao Heavy Metal.  Essa dissidência, apresentada exclusivamente pelo Rock Dissidente, visa os croosovers,  quando rockers fizeram Rap. Boa viagem!

01 . MANOWAR (1984) "All Man Play on Ten".



Difícil de acreditar que a banda que mais louva o Metal, o verdadeiro Metal, não misturado, que posteriormente faria músicas para Thor e outras mitologias nórdicas, que dedicou disco em homenagem a Inglaterra, nada mais distante que a oprimida juventude jamaicana, seja a PRIMEIRA a juntar o Rap com o Heavy Metal!

A música foi lançada em 1984, no disco "Sign of The Hammer". Ainda lançada como single, junto com "Mountains", a música desapareceu dos shows e demais registros da quarteto.

02 . AEROSMITH & RUN D.M.C. (1986) "Walk This Way".



A parceria que abriu caminho para crossovers entre Rock e Rap, além de mostrar ao público que a junção podia vender muito, foi tramada pelo produtor Rick Rubin. O AEROSMITH estava decadente, enquanto o RUN DMC se tornava o maior grupo de Rap estadunidense como seu segundo disco "King of the Rock", de 1985.

Joey Perry já conhecia o RUN DMC pois seu filho era fã da banda e ficou entusiasmado com o convite do produtor de fazer um remake  do sétimo single do AEROSMITH, lançado originalmente em 1975. Já os rappers não gostaram nada dessa ideia e protestaram veementemente contra ela. Não a queriam no seu próximo disco ou como single. Todavia, as novas letras e a mudanças pequenas no ritmo, junto com o video clipe da MTV, provaram ser uma das mais bem sucedidas decisões da indústria fonográfica, com a música chegando ao quarto lugar das paradas de sucesso naquele verão de 1986; ainda com a desconfiança do RUN DMC.

03 . JOAN JETT (1986) "Black Leather".



Atriz, feminista e vegetariana, a rocker JOAN JETT também foi a primeira mulher a misturar Rock pesado com Rap. Tal amalgama se deu em no seu quinto disco pós- THE RUNNAWAYS chamado "Good Music". O Rap de Jett fala da mulher se vestir como ela bem entender; que no caso é de Couro Preto.

04 . KING KOBRA (1986) "Home Street Home".



Após o sucesso do AEROSMITH, vieram alguns oportunismos. Alguns deles, difíceis de compreender. É o caso do segundo disco do King Kobra; de Hard 'n' Heavy vigoroso para um LP de A.O.R. com uns Hards mais pesados no final e esse Rap, cuja participação especial é sequer citada no encarte do disco. Desnecessário dizer, esse é o som que o próprio grupo mais menosprezou em sua carreira.

05 . ANTHRAX (1987) "I'm The Man".



Após o S.O.D., sempre buscando inovar, Scott Ian e Charlie Benante resolveram compor um RAP contando a história do ANTHRAX. Isso alegrou a galera do PUBLIC ENEMY, e, indo na maré contrária do que aconteceu com o AEROSMITH (em que o próprio RUN D.M.C. foi contra a inclusão do RAP no disco), o rappers do PUBLIC ENEMY já haviam notado que o guitarrista Scott Ian usava um boné com o logo da banda deles e resolveu homenagear o ANTHRAX os citando na canção "Bring The Noise", lançada em 1987. Quatro anos depois, os dois grupos fizeram um crossover remake da canção, que fez muito sucesso.

06 . KISS (1988) "Read My Body".



Um grupo que fala de festa, amizades, desventuras e aventuras românticas. O KISS nada tinha a ver com o RAP, porém, em 1988, talvez, animado pelo sucesso do AEROSMITH, resolveram fazer o canto da canção do disco "Hot in the Shade" no estilo RAP. O som não entrou na turnê do disco, nem nas coletâneas e acabou relegado à memórias dos fãs mais fervorosos. E uma memória não muito comemorada.

07 . METAL CHURCH (1988) "Iron Man".



Em seu primeiro álbum, chamado "Swass", o rapper Anthony Ray, mais conhecido pelo nome artístico de SIR MIX-A-LOT chamou os thrashers do METAL CHURCH para fazer um rap em cima de uma cover para "Iron Man" do BLACK SABBATH. A banda gravou o instrumental com o então novo vocalista Mike Howe gritando o título da canção. Ainda que não tenha entrado no  "Bleeding is Disguise", a parceria ainda rendeu um single. Diferente de todos os outros aqui, exceto pela JOAN JETT, a letra da canção é crítica.

08 . STRAIGHT WAY (1989) "Don't Even Swerve".



Essa á a única banda de White Metal em nossa listagem. Com menos de dois minutos, essa é um rap contando a estória de Jesus. Vestindo-se de preto e branco e com nítidas influências de STRYPER, a banda texana só durou esse EP.

09 . FAITH NO MORE (1990) "Epic".



O Rap mais famoso do Rock'n'Roll / Heavy Metal foi um single do terceiro disco da banda, chamado de "The Real Thing". Essa foi a estréia do vocalista Mike Patton que vinha de uma banda que gostava de misturar todos os estilos ao tal Heavy Metal, criando um subgênero chamado  Metal Alternativo ou Funk 'o Metal. Diferente dos outros artistas citados na lista, em que o RAP apareceu como uma experiência a ser abandonada, no caso do FAITH NO MORE e da carreira solo de seu vocalista, misturar tantos estilos quando possível é o mote do som. E os anos noventa foram marcados pelas gravadoras incentivando o Rock ser misturado com outros estilos, criando um comercialismo como nunca antes imaginado!

10 . VOLKANA (1990) "War? Where my Enemy Lies".


Presença brasileira na lista. Formada em Brasília na época do FLAMMEA, a banda de Thrash Metal se mudou para São Paulo e com o baterista do VODU registrou seus discos. O primeiro deles, First, consta duas passagens de RAP em português, feitas pelos MC Thaíde e DJ Hum, na música "War? Where My Enemy Lies". A cacofônica introdução, "Scrach Noise", da caótica música imita o barulho de um disco indo e vindo. Esse é um dos sons mais bem sucedidos da VOLKANA, sendo tocado em todos os shows.

11 . DANGER DANGER (1991) "Yeah, You want it".



Uma brincadeira que encerra o segundo disco de estúdio do quinteto estadunidense de Hard Rock DANGER DANGER. A canção  também se tornou totalmente esquecível, quase nem tendo elementos de Rock, ainda mais no disco que contém um dos maiores sucessos do grupo "Beat the Bullet".

12 . TUFF (2000) "American Hair Band".




Em uma homenagem às bandas dos anos 1980, o TUFF, em 2000, gravou um Rap sob base de "Sad But True" do METALLICA; algo como o METAL CHURCH fizera 12 anos antes. "American Hair Band" foi gravada no começo da explosão do New Metal, numa época que as bandas de Metal passaram a rejeitar e hostilizar o RAP por causa da concorrência com o New Metal e, até onde nos consta, é a última canção registrada nesse estilo que não seja Nu Metal.

O Rap, quando aparece associado ao Rock, salvo raras e honrosas exceções, perde o seu lado crítico, se tornando meramente um meio estético de fácil assimilação e, doravante, muito potencial comercial. Ele se torna o HIP HOP sem a crítica, inofensivo, que pode ser tocado numa festa burguesa sem ofender o sistema; e contestar, questionar e criticar o sistema estão na gênese tanto do RAP quanto do ROCK.

Você conhece mais canções de Rock, anteriores ao New Metal, que possuem RAP? Use o espaço abaixo de comentários para deixar o seu recado; afinal, dar voz ao povo é a prioridade inicial do RAP e do Rock.

Willba agradece a Anny Tysondog  e a Marcelo Lamoglia.
<3 br="" contribui="" o.="" pela="">*

2 comentários:

  1. Caraca, Will. Eu tô arrepiada com essa matéria. Há anos venho dizendo que o rap é o novo som do protesto, como o rock já foi. Confesso que adoro a mistura e enlouqueço com RAM. Arrasou. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Show, ótima matéria, Parabéns Will!

    ResponderExcluir